25.9.15

Representatividade da Mulher na Cultura Retrô - Vamos mudar já!


Representatividade. Taí uma palavra enorme que aprendi esses dias, mas que significa algo que defendo há muito tempo.

A representatividade da mulher é, obviamente, representar ou expor uma determinada classe ou grupo de mulheres.

Ela pode ser utilizada para mostrar como as mulheres são representadas na mídia, na política, na educação, entre outras áreas.

E hoje vou falar sobre a representatividade da mulher na cultura retrô.

Já perceberam como nas revistas, livros e filmes dos anos 40/50/60 temos sempre a mulher branca e magra como marca registrada?
E que, normalmente, sempre representam personagens "bem sucedidos"?

Pois é, lá nos anos 50 isso era ainda mais evidente, já que naquela época o preconceito era mais forte do que hoje. O branco era sinônimo de pureza, de beleza, de status. Enquanto o negro era o oposto. Para uma artista negra na década de 50 se tornar famosa, ela precisava ser mais do que bonita, precisa ter talento.

A verdade é que se fosse branca e bonita, já tinha meio caminho andado no meio artístico.

Todas as famosas seguiam o padrão da mulher de pele clara, magra ou levemente curvilínea de cabelos lisos ou levemente ondulados.

As grandes estrelas de Hollywood seguiam esse padrão. Mas, elas não tem culpa disso, certo? Esse padrão de beleza da época era baseado em conceitos históricos que não vamos entrar em detalhes agora. 

E claro que não podemos modificar o que já passou, mas você já tentou pesquisar por fotos de pin-ups atuais? Por incrível que pareça, mesmo que nossa sociedade tenha evoluído, elas continuam seguindo o MESMO padrão. 

Basta dar uma olhada no "google images". Digite algum termo relacionado às pin-ups atuais. É um exemplo bobo, mas você vai entender o que estou falando:


(bobo, mas digno)

Pesquisando na internet sempre tive uma dificuldade grande em encontrar pin-ups negras, asiáticas, com algum tipo de deficiência física ou até mesmo gordas. (Sim, vou usar o termo "gorda" pois ele não deve ser encarado como depreciação da pessoa, e também fica como assunto pra outro post, ok?).

E como o blog Retrô Rock possui uma página no Facebook voltada à esse mundinho retrô, estou sempre procurando fotos bacanas para postar por lá.

Mas, né.. a dificuldade de encontrar uma pin-up fora dos "padrões" é muito, muito difícil!!

E é por isso que a representatividade é importante. 

Nós, blogueiros e criadores de conteúdo, temos a obrigação de ir contra ao preconceito velado e mostrar que todas as mulheres, sejam elas negras, brancas, loiras, morenas, magras, gordas, novas, velhas, com deficiências ou não, independente de suas opções sexuais, incluindo transexuais, possam se sentir pin-ups e devem ser representadas.


(Modelo negra pin-up Angelique Noire)



(pin-ups asiáticas, não achei a fonte)

Por toda uma questão histórica e cultural não temos representatividade dessas mulheres na década de 50, MAS PODEMOS MUDAR a representatividade nos dias de hoje.

(update! A linda aí de cima se chama Izabela Sopalska - dica da Denyce Santos)

Para você ter ideia, fiz alguns testes na página do facebook publicando fotos de pin-ups negras e brancas. Infelizmente, as brancas obtiveram muito mais curtidas. 
Mas, por quê isso? Por que as pessoas em geral tem essa preferência?

Na verdade, seu gosto pessoal não nasce com você. Ele é um agregado de experiências ao longo da vida e sofre influência daquilo que é exposto como padrão de beleza. 
Se olharmos para trás, veremos que na época do Renascimento, as mulheres retratadas eram, em sua maioria, gordas. Isso era o padrão de beleza naquela época. E todas queriam ser daquele jeito.
Hoje em dia, ao contrário, a mídia nos entope de imagens de mulheres magras ou malhadas como ideal de beleza. Nada contra, mas será que todas as mulheres são assim? Não, né.

Conclusão: o padrão pode ser moldável e nós podemos mudá-lo.

Hoje temos condições de enxergar além do que nos é imposto e saber o quanto o preconceito racial e corporal é idiota e diminui as pessoas.

Então, se você possui um blog, uma página no Facebook ou qualquer outro canal de conteúdo, faça a sua parte. Represente todos os tipos de mulheres. Mostre para seus leitores que você apoia a ideia de que qualquer mulher pode aderir ao estilo e que elas serão muito bem-vindas.




Vamos fazer com que as mulheres deixem de ter medo de serem julgadas por suas características físicas. Vamos fazer com que todas se orgulhem do que são.
Que as negras possam fazer suas fotos sem medo, que as de cabelo crespo possam fazer penteados retrô, que as gordas possam fazer ensaios sexy, que todas se sintam bem consigo mesmas. Sabe o por quê? Porque nós somos essas mulheres.

Te convido a fazer valer a representatividade de alguma forma. Vamos lá??

(Participantes anãs do reality show "Little Women LA" vestidas de pin-ups)


Se você tem alguma ideia sobre isso deixe aí nos comentários, entre em contato via email estiloretrorock@hotmail.com ou mande seu recado lá pelo facebook.

Beijos!

UPDATE - 26/09

O blog "Nasci na Época Errada" da linda Natany Toffolo também se engajou no propósito de mudar o conceito da mulher na cultura retrô. Ela que também já fazia um trabalho parecido em sua página, lançou um post super bacana chamado "9 Pins - A representatividade da mulher na cultura retrô". Corre lá pra ver !!

UPDATE - 30/09

No blog "Vintage Pri - Nos Tempos da Minha Avó" da linda Priscilla Brooks você poderá ver os posts sobre a cultura negra vintage, com muitas informações sobre artistas de época, fotos antigas, entre outros. Aqui ó: "Vintage Black Beauty". O blog ainda vai lançar outros post sobre o tema, então fique ligado!

UPDATE - 05/10

O blog "Moda de Subculturas" está sempre falando sobre os problemas do mercado alternativo de moda e também já falou sobre representatividade. Veja dois posts indicados sobre o assunto:
"Falta de diversidade de modelos alternativas"
"Lojas virtuais: a importância de ilustrar corpos plus size".

11 comentários:

  1. Não poderia amar mais esse post! Eu amo o quanto a comunidade pin up de hoje abraça a diversidade, me faz sentir confortável e feliz de ver qualquer mulher se sentindo sexy e ousada.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Aline, gostei muito do seu post, de verdade.

    No perfil de Instagram onde eu trabalho, sempre quando posto alguma foto de uma mulher que não seja branca e magra, a foto tem menos curtidas.

    Gostei tanto do seu texto que acabei de fazer um post com algumas inspirações, e te citei lá!

    Beijo <3

    www.nascinaepocaerrada.com.br

    ResponderExcluir
  3. Esse é um tema que merece muita atenção, até pq sabemos que o meio rockabilly muitas vezes é permeado por muitos preconceitos.
    Parabéns pela iniciativa =)

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela iniciativa Alineeee! Arrasou! <3

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo post!

    Meu trabalho de final de curso da faculdade abordou justamente essa questão da representatividade, analisamos o filme A Princesa e o Sapo sob a ótica da representatividade da mulher negra na mídia, que é minuscula comparada com a de mulheres brancas. Eu cresci com apresentadoras de programa infantil brancas, princesas brancas e padrão de beleza de mulher branca, e ai entra aquilo que você citou no texto sobre gosto, que ele se desenvolve a partir de um "agregado de experiências ao longo da vida e sofre influência daquilo que é exposto como padrão de beleza". Acho que com iniciativas como a sua de expor outras formas de belezas podemos diversificar mais os gostos e que não existe um padrão de beleza :D somos todas lindas em forma, cor, etc..

    Comentei com a Pri uma vez que estava também com essa intenção de falar mais sobre a cultura negra vintage no blog, assim que eu fizer quero contribuir aqui também!

    Arrasou Aline, parabéns!

    bjus

    Ari
    http://devoltaaoretro.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu comentei lá no grupo, eu disse que nunca vi nenhum tutorial de cabelo/maquiagem feito para pessoas com cabelos cacheados/crespos.

    No meu ver a comunidade vintage é bastante engajada, tem muita gente legal e que além de abordar temas de moda, falam sobre artes/literatura/música...A mulher precisa ser representata, nós precisamos falar sobre a mulher produzindo arte, sobre a mulher negra produzindo arte,enfim, como mulheres precisamos abraçar os diversos grupos e apresentar a pluralidade existente.

    O pior mesmo é ter que encontrar material de qualidade com esse conteúdo, porque as melhores produções de estúdios, os filmes antigos mais badalados sempre eram com atrizes brancas.

    ResponderExcluir
  7. Em primeiro lugar, parabéns pelo post Aline!

    Está muito bem expresso em palavras e imagens um tema que merece destaque e já favoritei! Vamos apoiar a diversidade e todos os tipos de beleza dentro da nossa comunidade <3... Muito obrigada por ter compartilhado meu post, que honra! <3
    PS: Amei as participantes desse reality show, lindas!! *--*

    Beijos, Pri!

    ResponderExcluir
  8. Não tenho outrapalavra para descrever seu post além de INCRÍVEL <3
    De verdade, vou até compartilhar na minha página do Facebook, porque todas as mulheres deveriam ler! Eu mesma quase sempre não me vejo representada como gorda. Sim, uso a palavra gorda e não vejo qualquer coisa errada nisso. Precisamos de mais representatividade sim, mais visibilidade, respeito e aceitação própria. Se todo mundo soubesse como é bom perceber que não é uma aberração, que você também pode ser linda do seu jeito, com suas escolhas e com seu corpo, talvez pudéssemos sair desse mar de preconceito que nos envolve.
    Parabéns pela iniciativa :)

    Beijos
    Tribo Alternativa

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Para falar direto comigo, envie seu e-mail para lacrocodilla@hotmail.com. Beijão!

Veja também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...