18.4.15

Como ter a beleza das Musas do cinema - dica infalível !!

Pois é, as musas, modelos e atrizes de antigamente podem ensinar um monte de coisas pra nós, mocinhas de hoje em dia.

Coisas que nós acostumamos não aceitar sobre nossos corpos e nossas genéticas, que geralmente, caem como uma bomba em nossa autoestima, nos deixando frequentemente frustradas.

As mulheres sempre sofreram com essas padronizações da estética, que através dos anos, são modificadas e reinventadas. Mas, não podemos ser hipócritas, os homens também passam por isso, embora em escala muito menor.
Em geral, todas as culturas ao redor do mundo criam padrões estéticos. Mas o que as mulheres de antigamente mostram para a gente, é que podemos até seguir algumas "modas", mas primeiro, devemos aceitar nossas diferenças, nossas formas, nossas cores e nossas personalidades.

Você pode ser baixa ou alta, magra ou gorda e até ter a forma de um pinguim.. que seja! Deve realçar e valorizar aquilo que tem de diferente.

Pois é, gata! O ideal é que você valorize o seu jeito de ser. Se tem muitas curvas, tudo bem. Se é magrinha, também tudo bem. 

Hoje em dia, eu vejo mulheres de todas as idades que vão pra salões de beleza, fazem cabelo e maquiagem, saem lindas e maravilhosas, mas no fundo se olham no espelho e pensam: Não tenho 1,80 de altura, não tenho 50 quilos, não tenho peitos, não tenho mais 20 anos, não pareço com aquela atriz da novela.
E se sentem frustradas! 

E daí você liga a TV ou abre uma revista e vê o quê? Mulheres completamente iguais!

Elas tem o mesmo cabelo, mesma maquiagem, mesmo corpo. Acabou a exclusividade, galera.
Para ser bonita, tem que ser igual. 



Quer ver como isso funciona? Vamos analisar algumas musas do cinema e da música:



Sophia Loren: de origem italiana, já de cara vemos os traços nem um pouco delicados de seu rosto. Maxilar largo, boca e olhos grandes, cabelos volumosos. Veja bem, com todas essas características, temos uma mulher lindíssima. 
Se fosse hoje, provavelmente ela seria obrigada a usar uma maquiagem para afinar o rosto ou fazer plástica, precisaria alisar o cabelo e afinar as sobrancelhas para cair no gosto do público.




Anita Ekberg: De origem sueca, com pele e cabelos claros, Anita possuía traços semelhantes aos de Sophia Loren, porém mais delicados.
Apesar de lindíssima, uma das primeiras coisas que escutaria dos produtores/diretores/fotógrafos seria: emagreça, minha filha!
Anita tinha curvas bastante generosas, lindas e perfeitas, mas seria obrigada a fazer dieta para se encaixar no nosso padrão de magreza.





Audrey Hepburn: minha atriz/pessoa favorita neste mundo. Esteticamente, Audrey era uma mulher muito magra, praticamente sem curvas. Sua feição era marcante, possuía traços delicados que chegavam a ser até infantis. Não era considerada uma mulher sensual, mas possuía uma elegância fora de série.
Audrey seria terrivelmente massacrada nos dias de hoje, pois ela não possuía um corpo dentro do esperado. Seria obrigada a colocar silicone em tudo que é lugar e ganhar um pouco de músculos. Insistiriam para que usasse decotes, salto alto e deixasse o cabelo crescer para ganhar sensualidade e ficar mais "gostosa".




Billie Holliday: bom, essa grande cantora do Jazz ficou para o final, pois a análise dela talvez não seja das melhores.
E isso tem a ver com a segregação racial do começo do século (lá nos anos 20, 30). Se racismo ainda existe, imagine naquela época!
De origem muito humilde, Billie Holliday praticamente comeu o "pão que o diabo amassou".
E com muita sorte e talento, se tornou um ícone da música americana.
Se pensarmos pelo lado estético, é bem provável que ela tenha sofrido por não ter pele branca, como as musas que mostrei acima. Provavelmente usava apliques e acessórios nos cabelos "pra disfarçar" e talvez, maquiagem para afinar os traços.
Se tivesse vivido hoje, sua vida poderia até ser 'um pouco' mais fácil. E se fizesse sucesso, ainda assim, sofreria desse fenômeno na qual passam os famosos de pele mais escura. Utilizando recursos como luz artificial, maquiagem, photoshop e até remédios para branquear a pele (sim, isso existe).
É só dar uma olhada nas estrelas do pop pra saber do que estou falando. 
E Billie, você é linda!


Quando eu penso em "beleza feminina" eu logo penso em "padrão".
Porque é isso que tentam empurrar goela abaixo das mulheres o tempo todo!

E daí, quando finalmente, a mulher consegue atingir o ápice da padronização e se considerar belíssima, ela envelhece e perde o título. Pois a beleza, também é ligada à juventude.
O que é velho, é feio. E quando envelhece, a mulher precisa buscar por tratamentos estéticos invasivos, numa busca frenética por aquilo que "perdeu".

E existem duas musas do cinema, que nos ensinam também a lidar com o envelhecimento de forma saudável.
Audrey Hepburn e Brigitte Bardot. A primeira se tornou embaixatriz do Unicef e realizou diversas missões pelo mundo todo, e a segunda, se tornou uma grande defensora da causa animal.

E ambas, continuaram assim, lindas com suas rugas, e ainda mais radiantes por suas atitudes memoráveis. 
Isso é que é beleza, gente. =)



(Audrey Hepburn)



(Brigitte Bardot)


É sim, difícil, conviver com essa ditadura da beleza e juventude. Mas, juntas, podemos mudar os conceitos dessa sociedade.

Aceite suas curvas, ou a falta delas, aceite sua cor e seu cabelo. Aceite seus traços, valorizando-os.
E se quiser, no fundo, mudar alguma coisa, faça por você e não pelos outros, ok? 

Aqui ninguém é igual, somos todas diferentes! E a diferença é que traz a beleza, que descobre talentos e nos faz únicas.



Beijos!

9 comentários:

  1. Amei loucamente o post. É tudo o que eu venho dizendo já séculos: hoje em dia não se celebra a diversidade e a pressão para que as pessoas todas se pareçam umas com as outras é imensa e não faz o menor sentido. Cada pessoa tem os seus pontos fortes e fracos e a beleza está em valorizar os fortes.
    Não somos bonecos e nem autômatos, distinguidos apenas pelos números de fabrico. Somos gente.
    Esse é um dos motivos que me levam a amar tanto o cinema dos anos 50.

    ResponderExcluir
  2. Amei o post !
    Temos que aprender a nos aceitar.

    ResponderExcluir
  3. Uma das coisas mais difíceis do mundo e se aceitar do jeito que é, digo por experiência própria. Nós nos sentimos mal por não ter a pele como a do fulano, o cabelo como o do ciclano, os olhos do beutrano. E acabamos esquecendo de que NINGUÉm é perfeito! Eu ainda estou numa grande jornada da auto-aceitação, estou indo bem, mas ainda tenho muito o que aprender...

    ResponderExcluir
  4. que texto maravilhoso! não é atoa que admiramos tanto a beleza das musas do passado, antes era tudo tão natural, originalmente belo, ao contrario de hoje, onde a beleza plastificada tomou conta, uma pena :/

    bjos!
    eccentric-beauty.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. lindo texto! São belezas raras q não encontramos hoje. Hoje a mulher não tem nada de natural, é silicone, plastica, lipo....as vezes, dizem "ela é tão linda, pena q não tem muito peito, podia botar silicone dai sim ficaria perfeita".....mas se ela é bonita assim, porque mudar?

    Realmente todas se tornam iguais para poderem se encaixar no padrão......então elas passam despercebidas, afinal, igual à elas tem muitas outras.... =~

    bjooo, parabens pelo texto!

    http://www.vidaloucadecasada.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ótimo texto Aline, arrasou!! É isso ai, temos de enxergar nossa beleza natural e nos aceitarmos, cada um tem sua beleza e temos de valoriza-la.

    Beijos
    www.misscherry.com.br

    ResponderExcluir
  7. Amei o site. E sem querer acabei lendo este post incrível.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Para falar direto comigo, envie seu e-mail para lacrocodilla@hotmail.com. Beijão!

Veja também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...