12.6.12

Não, você NÃO gostaria de ter vivido nos anos 50!


A gente morre de amores pelas saias rodadas, pelos eletrodomésticos coloridos, pela rock dançante, pelos topetes emplastados de creme. A gente ama os anos 50 e 60. Mas ama hoje.


A mocinha se veste como antigamente, enrola os cabelos, passa o delineador tipo "gatinho" nos olhos e pega o metrô pra ir dançar na festinha mais quente da cidade, junto com suas outras amigas, todas à caráter e seus amigos topetudos.
Eles dançam, bebem, fazem o que bem entendem, e namoram quem eles bem entendem.
Se o cara respeitar, conquistar e cuidar da mocinha, pode sim, ser um candidato à namorado, senão, passa pro fim da fila.
Aliás, a fila anda muito, e se não der certo, adeus.
Hoje em dia, é assim. Antigamente não.




Seus pais escolhiam alguém que julgassem adequado, ou, financeiramente aceitável.
E você era obrigada a conhecer o rapaz e passar o resto da vida com ele. Isso a partir dos seus 16, 17 anos, pois quem passava dos 30 anos e não era casada, acabava ficando "pra titia" e perdia o interesse das pessoas.
Hoje você não se imaginaria casadinha, novinha, com uma renca de filhos pra cuidar, uma casa inteira para dar conta, e um marido que com sorte, você poderia amar.
.
Se ele fosse feio, chato, rabugento, agressivo, garanhão, amém, era com isso que você que teria que lidar pro resto da vida.
Aliás, a sua sexualidade seria completamente limitada. Você só conheceria um homem na vida, fosse bom ou ruim, era assim. Se você tivesse prazer ou não, era assim.
Se rolasse química, com certeza, você seria uma mulher de sorte e rezaria pro resto da
vida para que seu marido não arranjasse outra.
Porque isso sim, era bastante comum, a mulher não poderia dar um pio e se desse, ainda corria o risco de ficar mal falada na cidade.



Mas, os anos 50 tinha seu lado bom, imagina ter a possibilidade de ir no show do Elvis? Com ele vivinho, lindo e rebolando na sua frente?
Pois é, na verdade não seria só pegar o metrô ou o seu carro e curtir um show com a galera.
Elvis era um cara danado, 'o capeta' falaria sua mãe, que te proibiria terminantemente de ir num local desse.
Imagina só! Garota que sai pra dançar é mal falada e não arranja marido!
Mas, você como seria uma adolescente com o quarto forrado de posters do rei diria para a mãe que iria dormir na casa da amiga (e ela, diria o mesmo) e juntas pulariam as janelas e iriam escondidas ao show.
Lá, encontrariam mais centenas de meninas foragidas e rebeldes, com suas saias rodadas, fitas no cabelo e gritariam até ficarem roucas quando Elvis aparecesse.
Depois iria pra casa, satisfeita por ter tido a melhor noite da sua vida, mas se sentindo culpada por ter desobedecido seus pais.
E seu pai te bateria de cinta e te proibiria de sair de casa por 1 mês.
E sua mãe, arrancaria todos os posteres do quarto, colocaria dentro de uma mala com as revistas, recortes e vinis do rei e atearia fogo, ou levaria para o lixão, assim como fez a minha vó com todo o material da época que minha tia tinha dos Beatles.
Aí, chegaria aquele momento crucial, onde seu pai arranjaria um bom pretendente para ver se você sussegava o rabo, e ele iria todo engomadinho pedir sua mão em casamento.




Ou você aceitava e teria a mesma vida de sua mãe, ou você fugiria de casa com o que restava das suas roupas e iria para a cidade grande, onde ninguém te conheceria.
Na cidade arranjaria emprego de secretária, datilógrafa, costureira, pois eram os empregos permitidos às mulheres.
Se desse a sorte de estudar, poderia ser professora, quem sabe.
Mas, nada de engenheira, dentista, médica, empresária, pois eram carreiras destinadas aos homens.
E na cidade grande, quem sabe você desse a sorte de encontrar um homem mais moderno, aberto às novidades, menos preconceituoso, que aceitaria essa mulher dona do próprio nariz. 
Se não encontrasse, provavelmente, só lhe restariam homens casados, por quem
você se apaixonaria. E ele, sempre que te visse, prometeria que largaria a mulher e os cinco filhos. Coisas que nunca aconteceriam.




Com muito esforço, você teria seu próprio carro, quem sabe até aquele cadillac que hoje permeiam nossos sonhos e os ensaios fotográficos.
Mas amiga, sinceramente, não haveria espaço para você na sociedade.
Mulheres idolatradas hoje como Marilyn Monroe, Betty Page, entre tantas outras divas, eram vistas pela sociedade como mulheres de vida fácil e, que dificilmente, se encaixariam na sociedade comum se não fosse pelo meio artístico onde permaneciam.


Sofriam preconceito e só encontraram espaço no ambiente machista onde sexo era trocado por pontas em filmes da época.
A feminilidade e elegância da época que sentimos falta nos dias de hoje, era imposta às mulheres, não escolhida.
A mulher não escolhia a carreira, o marido, se ia ou não ter filhos, e as que se revoltaram contra isso, e abriram mão de uma vida calma e tranquila por uma vida de lutas e preconceitos, foram as responsáveis pelo mundo em que vivemos hoje.
Hoje, você põe a saia rodada, enrola o cabelo, escolhe o tamanho do salto e o tom do batom vermelho, mas escolhe também o que quer pra si mesma. 
Decora a casa toda como nos anos 50, espalha posters de Elvis, Cash e Gene Vincent, mas faz do seu jeito. À sua maneira.
Assim vale a pena, viver a vida com a beleza dos anos passados, mas com a liberdade dos anos de hoje.
Portanto, pense melhor quando disser: "Deveria ter nascido nos anos 50"..


hehe..


Beijos^^

33 comentários:

  1. è verdade nos temos q
    pensar muito bem
    mais tbm tinha seu glamour
    adorei o textinho que maldade de sua avó com tua mãe tadinha ela fica pensando ate hoje no material
    exclusivo néh minha mãe fez isso com migo quando eu tinha
    uns 15 pra 16 anos jogou todas as coisas que eu tinha do Elviz e do Guns fora só pq eu sai com os meus amigos e só voltei no outro dia quando cheguei em casa tudo queimado chorei tanto ate hoje choro pq era coisas preciosas que ainda não consegui repor tudo.
    beijos

    Feliz dia dos Namorados ♥

    ResponderExcluir
  2. Ah! Que post o máximo!!
    Eu sempre falo isso!
    A moda de tempos passados remete à romantismo, mas na real era beeem complicado viver antes dos anos 60 e da revolução sexual.
    No meu caso que me interesso por subculturas, ser um rocker naquela época era vergonha na família, era ser um pária, um excluido... veja como hoje mudou!
    Assim como a paixão estética que muitos tem pela era vitoriana, que a paixão se se mantenha na éstética, porque aquela foi uma das piores épocas pra ter-se nascido mulher! haha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto, excelente reflexão, concordo com você, realmente quem vê pensa que aquela época era facil, mas não era, eu adoro o Vintage, mas na realidade sou mesmo apaixonada pela época medieval e renascentista (pior né? rs)

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo texto Aline!
    Realmente só pensamos nas coisas boas de viver no passado.
    Nossa liberdade não seria compatível nessa época de grande repressão, mas seria uma ótima aventura vivenciar a parte boa dessa história!

    Bjos
    Amanda Fernandes
    www.redapplepinups.com

    ResponderExcluir
  5. perfeito! tava faltando mesmo alguém lembrar disso tudo!
    ótima conclusão!

    ResponderExcluir
  6. Nossa...achei demais esse post!!!!!!!

    Nunca mais vou falar q nasci na década errada!!!

    Beijos

    Renata

    ResponderExcluir
  7. MUITO bom post! A série Mad Men retrata muito bem isso, principalmente como era para as mulheres.

    ResponderExcluir
  8. Seira delicioso!
    Época linda com certeza, pena que não haviam blogs, net e outros para termos acesso a tudo isso naquela ocasião...
    Ótimo post, fez-me "lembrar de algo que infelizmente não vivi.
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Adorei o post e concordo contigo em vários pontos!
    Pessoas que vivem falando por aí que nasceram na época errada e que deveria ter nascido nos anos 50 cansa mesmo. Elas pensam que tudo era um mar de rosas e que só existia saias rodadas, vestidos de bolinhas, delineador gatinho, batom vermelho, elvis, e vários discos para ir dançar, nada era errado e nada era difícil. Essas pessoas não sabem nem 5% da história, e se sabem, devem pensar que era assim.
    Adorei. Beijosss

    ResponderExcluir
  10. E quem viveu antes de 45, sabia também que poderia ter perdido o marido feio, rabugento, barrigudo e mulherengo na Guerra....
    Belíssima reflexão!!!!

    ResponderExcluir
  11. ah vc acabou com a minha ilusão de viver nos 50s :P

    xxx

    ResponderExcluir
  12. Eu estava pensando justamente sobre isso, sobre a imagem (e na verdade o papel da mulher mesmo né) nos anos 1950, era praticamente um acessório do marido, "lugar de mulher é no fogão". Mas talvez eu até me daria bem: sou professora, meu sonho é casar e ter filhos, e eu AMO cozinhar (apesar de não suportar homens machistas). Mas isso eu quero mesmo hoje em dia, né, porque há maior igualdade entre as mulheres e os homens (apesar de aqui no Brasil ainda não ser nem uns 70% de igualdade, né, você acreidta que ontem um aluno meu disse que lugar de mulher é na cozinha? Ele estuda Engenharia numa universidade renomada aqui de Minas, tem 20 e poucos anos, e o pior de tudo foi que todos os homens da sala riram também. Fiquei decepcionada. Hoje em dia não tá tão diferente dos anos 1950 com relação a essa imagem da mulher, infelizmente.

    Adorei o seu post, você merece muuitos parabéns! hehe beijos

    ResponderExcluir
  13. Cara, acho que esse é post que eu mais gostei no seu blog até hoje. Engraçado que sempre repito pra mim, que nos anos 60 ou 70 tenho que lembrar que não seria uma nova iorquina descolada no fundo do Max's ou do CBGB e sim uma brasileira reprimida pela censura e pelos bons costumes.

    Eu realmente amo minha época.

    ResponderExcluir
  14. Me identifiquei bastante com o blog, achei super bacana porque eu também sou viciada em Brechós e toda semana compro um pouco! Adorei o blog, parabéns pelo trabalho!
    Bises

    ResponderExcluir
  15. Oi Aline!
    ADOREIII O POST!
    Adoro os anos 50 e sempre pensei "gostaria de ter vivido nessa época". Foi bom repensar as ideias, acho que agora prefiro só me inspirar nos anos dourados, que pelo visto para as mulheres, estavam longe de serem dourados...

    beijoos

    ResponderExcluir
  16. QUe lindo texto! amo muito suas postagens bj

    ResponderExcluir
  17. Adorooooo os anos 50, adoraria ter vivido esta época, mesmo sabendo que ser mulher era ser um adorno masculino! kkkkk
    Seu blog é realmente um looshooo! Já estou seguindo! Espero que vc possa seguir o meu também! ^^
    Beijinhos! ^^

    www.makedamotociclista.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Post MUITO foda! Hahahah Admiro muito o estilo dessa época, mas por esses motivos citados no post, não sei se gostaria de ter nascido em outra epoca, senão a minha hehe
    Estou te seguindo também \o
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. mais uma feminista para fazer coro com a gente. Seja bem vinda. Olha Aline querida, eu to pensando até em fazer um guest post dessa tua postagem de tão boa que ficou. Parabéns, Parabéns mesmo, a gente se sente tão livre, tão feliz quando começa a largar os sapos e a falar o que realmente pensa né. Acho que ja leu meu novo blog, tem tudo a ver com o que esta comentando, com essa mudança pra feminista, com essa nossa luta por igualdade,e a minha é acabar de vez com esse padrão dos anos 50, porque foram-se as obrigações, mas o julgamento da classe feminina ainda esta ai, forte e firme, continuamos a ser chamadas de vadias caso escolhemos muitos parceiros ( se fosse homem ninguem abriria a boca, a não ser pra chamar de machão), e santa, castas puríssimas se escolhemos um só. Eu to é torcendo e lutando por a libertação, eu quero ficar com quem eu escolher e não ser nomeada de nada, pois a minha vida sexual não fala absolutamente nada do meu carater, e ai, deixa eu copiar pro meu blog? um Guest post de Aline. ^^ Beijos.

    ResponderExcluir
  20. super certo isso
    as pessoas ficam com a ilusão pelo que aconteceu no passado
    mas pensa que hj a gente pode ter acesso a época que quiser e viver do jeito que queremos, e não troco por nada :)

    ResponderExcluir
  21. Eu concordo sim em partes cm vc!!
    realmente naquela época não era fácil,mas afinal de contas qual a época que é facil e totalmente boa???
    hj não convivemos com a submissão da mulher ao homem e podemos fazer nossas escolhas, mas por outro lado perdemos em mtas outras questões, como a falta de respeito, de amor e de beleza nas coisas. Hoje vivemos o contrário dos anos 50: a banalização da mulher!!
    parabéns pelo post,gata!!
    são visões!!
    http://pinupsando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Concordo totalmente! Amo o estilo, de verdade, mas temos que ver o que de bom temos hoje, né?! rs (=

    picturesandtales.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Nossa Aline,
    Estava procurando algumas coisas sobre rock na net e encontrei esse site maravilhoso, linda!
    Parabéens ameeei e vou voltar aqui muitas vezes, beijos!

    Marina

    ResponderExcluir
  24. Que texto fantástico. Concordo com você, adoro a estética da época, mas não troco pela liberdade que temo hoje!

    ResponderExcluir
  25. Ahaha.... concordo com MUITA coisa do que foi escrita aqui... é pura verdade!
    Adorei o blog e to seguindo...

    bj bj
    Kami
    www.thesecretgardenmakeup.com.br

    ResponderExcluir
  26. Você é escritora ou o quê? Meu Deus, que texto ma-ra-vi-lho-so! Amei!
    www.analogicbea.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Que texto perfeito!!! Isso é uma obra de arte!!! Parabéns!!!

    BeijoZZz

    Ah! Adorei as xícaras do post sobre a casa nova. Eu coleciono xícaras e algumas pessoas acham estranho o fato de eu usar algumas apenas para decoração. Mas é porque dá medo de alguém quebrar. kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  28. Verdade,acho que é o 1º post que releio falando da realidade feminina na década de 50,para nós que vemos os filmes e suspiramos com um amor que nossas atrizes favoritas tinham na pele daquela mocinha,não é nem 5% da realidade daqueles tempos.E fora que desquitada "divrociada" era chamada e tratada como prostituta,pois o mundo prega a submissão.
    Ah você esqueceu de falar que desquiti era uma abominação e que era mais que natural o marido trair e bater na esposa se quisesse.Antigamente não tinha essa de ir na polícia e mandar dar uma "dura" no marido só porque ele descontou a raiva em você,os policiais ficavam sempre ao lado do agressor,pois isso era prova de machesa,e tudo era motivo para espancamento.
    E também se você desobedesse seus pais ninguém te acolia se você fosse expulsa de casa,ninguém mesmo nem da familia e nem os amigos por mais que quisessem,os pais dos seus amigos não deixariam.
    Ah as carreiras de atriz e cantora eram vistas com maus olhos,todo mundo falava mal das atrizes e se não me engano a que mais sofreu foi a Marilyn, pode-se notar que quando ela morreu todos os jornais psotaram a mesma foto dela na mesa do necrotério(acho tão chocante isso) e hoje em dia ela é tão idolatrada pelo mesmo país que a condenava sem dó nem piedade.
    Acho que é isso,tô amando o site e já sou segidora.

    ResponderExcluir
  29. Belo texto.
    Mas infelizmente a revolução sexual, revolução feminina, ou tudo que vem junto com a evolução da sociedade, trouxe algumas coisas muito chatas. Muita coisa mudou, mas a parte que acho pior foi a mulher "precisar" trabalhar e deixar a "criação" de seus filhos a cargo de outros. Acho que a sociedade não seria tão mal educada, nem tão insolente hoje. Alguns valores acabam que não são muito respeitados hoje.

    ResponderExcluir
  30. Concordo com algumas coisas, sim... No entanto, acho que você está vendo apenas o lado ruim. Não é bem assim. Casamento por conveniência e por escolha dos pais nem existia muito nos anos 50. Pelo menos, eu nunca conhecia alguém que tivesse vivido naquele tempo e não tenha uma história de amor pra contar.

    Além do mais, o respeito, a educação, o valor da família, tudo isso se perdeu bastante... E as mulheres, na ânsia de emancipação, exageraram até chegar no pólo oposto.
    Enquanto isso, pai e mãe trabalham e as crianças, mesmo com os melhores pais do mundo, podem seguir os piores dos caminhos, pois não aprenderm com eles.

    Depois, outra coisa que eu não curto (apenas uma questão de gosto, claro), é a falta de glamour e classe das mulheres de hoje. Muitas vestem como homens a ponto de ficar difícil distinguir se é homem ou mulher! rsrs Ou então andam seminuas, achando que mostrar tudo e ser vulgar é o mesmo que ser sensual...
    E depois tem aquelas que acham que cavalheirismo é sinônimo de machismo.

    Liberdade é a melhor coisa do mundo, a mais valiosa e preciosa, mas muitas pessoas, hoje em dia, acabam por confundir liberdade com libertinagem. O mundo caminha para o caos e a anarquia e isso, sinceramente, mne assusta muitíssimo.

    Pior: hoje, apregoam tanto a liberdade de sermos nós mesmos, mas, se aparecer uma pessoa bem-comportada, certinha ou religiosa, é ridicularizada! A ideia de uma mulher com mais de 18 anos ser virgem é totalmente tabu: as que existem se recusam a assumir, pois, se assumem, são ridicularizadas... Mulher que mora com os pais, mesmo que seja solteira (o meu caso), é olhada de lado... ou seja, hoje em dia, existe muito preconceito, também, exatamente com o oposto dos anos 50. A sociedade, seja em que época for, sempre foi e sempre vai ser preconceituosa e hipócrita, infelizmente. Cabe a nós cumprir a nossa parte, fazer o que a nossa consciência mandar.

    Acho que, para mim, não seria difícil viver na década de 50. Sério mesmo.
    Todas as épocas têm coisas boas e coisas ruins e os anos 50 são (e sempre foram) a época que mais se identifica comigo.

    Xi, desculpa o tamanho do comentário, não era pra ficar tão extenso :/

    Beijinhos, gostei daqui. muito :)

    www.msmarydee.net

    ResponderExcluir
  31. Texto lindo... Fiquei até emocionada!
    Quando paramos para pensar vemos o quanto realmente era difícil viver naquela época!

    ResponderExcluir
  32. Poxa, achei sensacional o comentário da Mary em 03 de setembro de 2013.
    Me pergunto à alguns anos, onde estão essas pessoas de classe, elegância, cultura, respeito, cordialidade e etc, onde estarão os rapazes galanteadores, os conquistadores, os rapazes dançantes, as casas de dança e boa música.
    Seria inusitado e incrível, que a parte boa dessa época fosse revivida de alguma forma, seria MARAVILHOSO!!!

    Sou homem e reconheço as dificuldades das mulheres nessa época. Mas seria indescritível tela vivido.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Para falar direto comigo, envie seu e-mail para lacrocodilla@hotmail.com. Beijão!

Veja também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...